Requisitos para os cursos na CdP

1 – Relação do produtor do curso com a Comunidade de Práticas

Para que possamos dar início a esta relação entre a produção do curso e a gestão da plataforma Comunidade de Práticas, sugerimos algumas ações com a perspectiva de criar o melhor ambiente para a inserção do curso, adequada a experiência de cursos na CdP. Esperamos que, ao seguir esses requisitos, o curso consiga explorar o melhor da Comunidade de Práticas e atinja às exigências de estímulo à aprendizagem contínua e colaborativa. Vejamos:

● Desejamos que o conteúdo do curso seja elaborado e realizado por uma equipe multiprofissional, com vistas à construção de uma aprendizagem integrada e contextualizada com a realidade do aprendiz e com um viés de busca da aplicação prática e da interdisciplinaridade;

● A Comunidade de Práticas atende a um público heterogêneo de todo o Brasil, quiçá mais abrangente que alcance a comunidade lusófona mundial. Nesse sentido, é extremamente importante levar em consideração as diferenças territoriais, culturais, as diversas expressões e sotaques. Por exemplo, vídeos produzidos com influência apenas de uma localidade, como o interior do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro ou de Pernambuco, podem causar estranhamento quando for visualizado por um profissional de outro Estado. Sabemos que não será possível evitar completamente regionalismos e culturalismos locais ou regionais, portanto alertamos para que sejam produzidos materiais o mais diversos e tecnicamente neutros possível.

Em relação a isso é importante fazer os seguintes questionamentos:

  • Os termos essencialmente regionais foram substituídos por termos gerais, que tem o mesmo significado em diferentes regiões do Brasil? Exceto para fala de usuários.
  • Exemplos que você lançou mão são específicos da sua localidade ou servem a uma generalização mais abrangente?

● Indicamos que no processo de criação do material, considere-se a geração de uma descrição detalhada do roteiro do curso e de cada aula (storyboard), apontando os textos de cada página e a inserção dos arquivos de vídeos, figuras, textos e outros. Esse documento é fundamental para o planejamento de atendimento da inserção e viabilização do material na plataforma, observe que a sistematização deste material é necessária para a construção e continuidade dos cursos.

● É fundamental e necessário que haja diálogo do profissional de referência com a equipe da CdP durante a elaboração do curso afim de que evitemos falhas e erros de execução decorrentes de falha na comunicação.

● É preciso pactuar a data de entrega do material, levando em consideração que o curso só terá suas inscrições abertas para matrícula após ser completamente testado em suas funcionalidades e correções didático-metodológicas, e nunca em prazo inferior a 30 dias corridos após a entrega do material pronto e revisado por parte do produtor do curso. A CdP se reserva no direito de adiar as inscrições do curso que não atingir os requisitos mínimos até que o mesmo esteja completamente de acordo.

● Entrega de todo o material com revisão de português (gramatical e ortográfica);

● Necessitamos da indicação de um ou mais testers ou, ou seja, uma pessoa ou mais, para testar, durante uma semana, o curso antes do seu lançamento. Preferencialmente esta pessoa não deve ter relação com a temática do curso;

● É imprescindível o acompanhamento do curso e uma avaliação periódica (a definir com o projeto) pela coordenação do curso (profissional de referência) e pelos alunos cursistas, em conjunto com a equipe da CdP, afim de realizar ajustes do material do curso caso seja necessário.

● Priorizar questões avaliativas objetivas e diretas que demonstrem a aprendizagem e os usos da informação para o uso objetivo na prática direta do aluno.

2 – Informações para apresentação do material e organização do material na plataforma

● Descrição da carga horária total e especificada por módulos/aula.

  • Carga horária mínima total: 16 horas (equivale a um crédito – badge)
  • Não há carga horária máxima total do curso, sendo que cada 16 horas equivale a uma crédito (badge) , não serão consideradas frações para a composição de
    créditos.

Definição do público-alvo do curso. Lembramos que a privacidade padrão dos cursos na Comunidade de Práticas é a aberta. Isso significa que qualquer usuário cadastrado na CdP poderá participar do curso, apesar disso, devemos avisar ao usuário que o material foi desenvolvido para um determinado público.

Caso haja a necessidade de uma privacidade fechada, com um público estabelecido, é preciso discutir com a equipe do projeto Comunidade de Práticas.

● Apresentação dos objetivos educacionais gerais do curso.

● Apresentação dos objetivos educacionais de cada da aula ou módulo e relacionado às atividades propostas.

● Apresentação dos objetivos e métodos avaliativos de cada etapa de conteúdo do curso.

● Indicação da bibliografia utilizada em cada módulo, sempre com link de acesso, se disponível.

● Indicação do profissional de referência do curso, dos conteudistas responsáveis pela produção do material, da coordenação do projeto e da área técnica responsável.

● Apresentação do mini-currículo da equipe, especialmente dos conteudistas, para conhecimento pelo usuário.

● Sobre a organização do material, indicamos que use diferentes formatos de conteúdo, e que a disposição deles seja intercalada, para que o usuário possa acessar formatos diferentes, tendo estímulos diferentes. Por exemplo, o módulo pode iniciar com um vídeo de apresentação, depois uma imagem, depois um pdf para download…

● Utilização de linguagem dialógica, que “converse” com o usuário, respeitando e estimulando que ele compartilhe suas experiências, sua cultura e o conhecimento acumulado.

● É importante que o usuário saiba que conteúdo do curso é dinâmico. Por isso, pedimos que informe no Acordo Pedagógico que o conteúdo passa por constante revisão. Vamos sugerir um contato aos usuários caso sejam verificados erros haja necessidade de sugerir aprofundamentos ou melhorias.

3 – Formato do material

O ambiente de cursos da Comunidade de Práticas foi desenvolvido de maneira experimental levando em consideração algumas estruturas de plataformas. O projeto Comunidade de Práticas definiu que o formato do material seria aberto, e por isso não utilizamos um padrão de instalação do conteúdo (Como o padrão scorm para migração/portabilidade do material) nem uma outra espécie de compactação. Também não utilizamos os formatos fechados, como Flash. Neste sentido, todo o conteúdo produzido pelo curso deve ser entregue separadamente, utilizando um roteiro bem minucioso da estrutura do curso. O envio para a equipe da CdP pode ser definido conforme a melhor das opções apresentadas por ambas as equipes (indicamos o Dropbox como repositório do conteúdo).

Licença Aberta

● Formato do conteúdo do curso compatível com Recursos Educacionais Aberto e com a licença Creative Commons “by-nc-sa”, a qual permite que os usuários remixem, adaptem e criem obras derivadas sobre a obra original, desde que com fins não comerciais, atribuindo crédito ao autor e licenciando as novas criações sob os mesmos parâmetros.

Indicamos acessar o site da comunidade REA Brasil: www.rea.net.br

E assistir o seguinte vídeo:

● Para a produção do material, recomendamos a utilização de software livre, como por exemplo:

  • GIMP: é um software livre para edição de vídeo
  • Avidemux: é um software livre para edição de vídeo
  • LibreOffice: é uma suíte de aplicativos livre multiplataforma para escritório, utiliza o formato
    OpenDocument (ODF)
  • Audacity: um software livre de edição digital de áudio

—-

Para produzir o material pedagógico, pedimos que sigam esses requisitos:

Estrutura pedagógica

Através da arquitetura do curso, a coordenação do curso precisa desenvolver a estrutura que será apresentada ao aluno a partir de blocos temáticos. Por essa estrutura será possível agrupar os conteúdos a partir de uma temática, criando uma organização. Com base numa estrutura em bloco, como podemos ver na Imagem abaixo, a plataforma apresenta uma hierarquia em dois níveis: unidade e módulo. Vejamos a estrutura na organização do curso e na execução na plataforma de produção:

Blçoco explicando como se organiza a estrutura do curso na comunidade de práticas

Bloco explicando como se organiza a estrutura do curso na comunidade de práticas

Devemos nos atentar para esta organização, levando em consideração que o Bloco Temático é a “Unidade”, o Tema é o “Módulo”, e os conteúdos são os materiais/conmteúdos desenvolvidos separadamente. Vejamos como nos organizamos:

 

Estrutura do sistema que mostra como são organizados os conteúdos do curso

Estrutura do sistema que mostra como são organizados os conteúdos do curso

 

O usuário tem acesso ao conteúdo desta maneira

O usuário tem acesso ao conteúdo desta maneira

Vídeos

● Vídeos com qualidade de áudio e imagem, incluindo vídeoaulas, com duração máxima de 5 minutos. Respeitar os direitos autorais e creditar nomes da equipe de produção e de pessoas e músicas que aparecem no vídeo.

Áudio

● Programas de áudio com no máximo 3 minutos, que podem conter entrevistas, radionovelas, paródias musicais, etc. Respeitar os direitos autorais e creditar nomes da equipe de produção e de pessoas e músicas que são ouvidas no programa.

Imagem

● Ilustrações, fotografias, personagens, histórias em quadrinhos em alta qualidade. (conferir com a equipe técnica os padrões e formatos de imagem que podem ser utilizados em nosso sistema). Respeitar os direitos autorais e creditar nomes da equipe de produção e de pessoas que aparecem na imagem, ilustradores, fotógrafos etc.

Arquivos

● Pdf desbloqueado, doc, xls, MP3, jpg, mpg, avi, etc para serem baixados pelo aluno para uso futuro.

Acessibilidade

Todas as imagens, sons e vídeos deverão ter sua descrição detalhada e legendas para permitir que pessoas com deficiências auditiva ou visual possam obter as informações ali apresentadas igualmente às pessoas sem essas deficiências. Em imagens e vídeos memoriais descritivos deverão ser escritos, no caso de programas de áudio a transcrição deverá ser disponibilizada.

Indicamos a leitura da Cartilha de Acessibilidade na Web da W3C Brasil.

Créditos

Todo o material deverá ter creditado os autores e produtores, bem como equipe técnica e datas de edição para registro de autoria.

4 – Avaliação e Certificação do Curso

● Definição do processo de avaliação e das atividades ao longo do curso.

● Pretende-se que cada aprendiz gere, como avaliação processual do curso, os relatos pessoais sobre o que aprendeu no curso e como isso interferiu na sua prática, na área de relatos de experiência, contemplando as perguntas norteadoras e posterior avaliação entre pares.

● Em diferentes etapas do curso, os autores devem identificar momentos oportunos para convidar o aluno a relatar a sua experiência, direcionando para o ícone “relato”.

● A coordenação do CdP irá indicar uma tag, a coordenação deve indicar mais 1 tag relacionadas ao curso e o autor poderá indicar mais três.

● Também podem ser inseridas avaliação por teste, desde que pertinentes aos objetivos do curso e que levem o aluno a refletir sobre a atividade que ele está realizando, e não somente obter a resposta para cumprir determinada tarefa “corretamente”. Para isso, deve-se questionar:

  • Qual o seu objetivo com a avaliação?
  • Pretende avaliar a aquisição de informação ou a aquisição de habilidades técnicas por parte do aprendiz?
  • Suas perguntas avaliativas são objetivas, simples e diretas que evitam duplicidade de compreensão e resposta única ?

● A certificação será condicionada à elaboração do relato.

● Certificação emitida automaticamente pela Plataforma Arouca.

5 – Termos de Cessão de Direitos e Termo de concordância com o PPP

● Assinatura do Termo de Cessão de Direitos Autorais (incluindo textos, vídeos e imagens) de cada um dos conteudistas e ilustradores, conforme modelo do Ministério da Saúde, o qual deve ser adaptado conforme o tipo de conteúdo do curso.

● Termo de concordância com o PPP da Comunidade de Práticas (marcos filosófico e operativo) e com os requisitos para os curso, assinados pela coordenação do projeto.